Skip to content

Dietética Chinesa

“QUANDO A ALIMENTAÇÃO É MEDICINA”

Artigo especial Outono
Para a revista Vida & Saúde Natural nº13 / de Outubro de 2016

Hoje em dia a palavra dieta detém uma conotação temporária, um conjunto de hábitos alimentares que são colocados em prática durante um período de tempo definido. É comum verificar que as dietas surgem como tendências e, na maior parte dos casos, para além do objectivo pelo qual foram desenvolvidas ser perdido, são seguidas sem orientação de um profissional habilitado.

A dietética chinesa é uma terapia assente nos princípios da Medicina Chinesa, como a acupuntura, diferindo-se das ciências da nutrição. Tem objectivos clínicos de largo espectro e por isso é uma vantagem não só para quem pretende emagrecer mas também para diversos desequilibrios como: colesterol elevado; hipertensão; gastrite; alergias alimentares; acne; psoríase; obstipação; diarreia; cefaleia; ausência de menstruação; dores menstruais; infecções urinárias, entre outras. Ao compreender o desequilibrio percebe-se exactamente qual o método culinário e quais os alimentos que vão suprir as necessidades energéticas para se atingir a homeostasia. Esta terapia aplica o seu conhecimento com os alimentos, da mesma forma que o faz com as plantas, tendo por base as suas ações terapêuticas pois há alimentos que promovem a energia, outros o sangue, o yin ou o yang.

A teoria do Yin-Yang baseia-se numa dualidade que se unifica – o dia não existe sem a noite; nem a luz sem a escuridão; nem o calor sem o frio – e constitui o todo, a Vida. Todos os alimentos tem energia (qi) e caracteristicas especificas (mais Yin ou mais Yang; com tropismo para um dado órgão ou meridiano; com acções determinantes para o correcto funcionamento do organismo) que podem contribuir positivamente ou negativamente para a nossa vitalidade. Por esta razão devemos atentar às escolhas alimentares do nosso dia-a-dia pois definem-nos a longo termo.

Outono

Nesta estação do ano em que a essência da natureza se revela centrípeta e descendente, é fácil verificar que as folhas e as frutas caem, as sementes secam, a seiva das árvores segue para as raízes e a cor verde intensa se perde. Nesta fase de colheita e de interiorização, é tempo de armazenar energia, de estudar e planear a serenidade do inverno que se aproxima. Por isso, ao longo dos séculos o Homem preparava-se atempadamente para essa recolha e introspecção. A sua essência energética e fisiológica não mudou e por isso devemos adaptar-nos. O movimento Metal, da lei dos cinco movimentos da Medicina Chinesa, incorpora esta estação e a energia do Pulmão, por isso o apetite e a essência dos alimentos são transmitidos através do olfacto.

A preparação dos alimentos deverá ser com menos água, em lume brando e por períodos longos para incorporar energia nos alimentos. Devemos aproveitar para incrementar sabor, em especial o salgado e o amargo, fazendo cada vez mais uso de especiarias à medida que o Outono se aproxima do Inverno mas sempre sem exageros e com precaução. Estes pormenores irão fortalecer o sangue e, consequentemente, a mente, permitindo o fortalecimento da memória e concentração ideais neste período de estudo e instrospecção. Alimentos como a azeitona, pickles, vinagre, limão, toranja, ameixa, uva, maçã, feijão azuki, couve, queijo e iogurte, são característicos desta estação mas devem atender a um cuidado redobrado porque pequenas quantidades têm um efeito forte.

Nesta estação é comum encontrarmos um padrão energético de secura não somente devido ao clima mas também devido a excesso de actividade, dieta ou desregulação de algum órgão em especifico. Os sintomas principais incluem sede, comichão e secura da pele, nariz, lábios e garganta. Para os combater deve investir em alimentos humectantes, tais como: espinafres, cevada, millet, peras, maças, nêsperas, diospiros, cogumelos, algas, tofu, tempeh, amêndoas, pinhões, sementes de sésamo, mel (cozinhado), geleia de arroz, ovos, ostras, mexilhões, carne de porco, geleia real (fresca) e temperar com sal (qb) também auxilia. Os produtos lácteos também têm esta particularidade mas somente as pessoas com sinais de fraqueza devem inclui-los.

Aliando a sabedoria milenar à prática moderna, Essence Prime Care em parceria com Cooking with Ana apresenta-lhe uma sugestão saudável e artesanal para o reconfortar nesta estação. Um Peito de Perú recheado com castanhas e maçã.

Receita de Preparação

1 kg Peito de perú
100 ml de vinho branco
30g de pimentão doce
Sumo de 1 laranja e de 1 limão
2 maçãs grandes
500g castanhas
Azeite (q.b.)
1 colher de sopa de erva-doce
Sal a gosto

Para a confecção deste prato, leve as castanhas a cozinhar em água temperada com sal e erva-doce. Assim que levantar fervura, deixe cozer por 5 minutos.

Seguidamente, coloque o perú numa assadeira e regue com o sumo da laranja e do limão, o vinho branco, o pimentão doce, um pouco de sal e azeite. Deixe o perú marinar por 2 horas. Enquanto aguarda faça o recheio: numa frigideira coloque azeite, metade das castanhas e as maçãs picadas grosseiramente. Mexa até que estejam bem incorporadas, tempere com sal, deixe cozinhar entre 5 a 10 minutos e deixe arrefecer.

Depois do perú marinado e com a ajuda de uma faca, abra um buraco numa ponta do perú e na ponta oposta, rodando a faca de um lado para o outro para o aumentar. Recheie com a ajuda das mãos ou seringa.

Volte a colocar o perú na assadeira e adicione as restantes castanhas à sua volta, temperando-as com um pouco de sal e azeite. Leve ao forno pré-aquecido a 190º durante vinte minutos, o perú recheado com a marinada e as castanhas. Regue com a marinada e deixe cozinhar por mais 15 minutos. Acompanhe com millet de legumes ou batata-doce no forno com alecrim.

Desfrute do Outono para se conhecer melhor e preservar. A meta é compreendermos as nossas necessidades fisiológicas e energéticas e deixarmos o alimento ser a nossa medicina, e a medicina o nosso alimento. Oiça o seu corpo e ofereça-lhe apenas o que ele merece – Saúde.

Pode também ler o artigo completo na rubrica edição #13 da revista Vida & Saúde Natural, onde para mais informações sugerimos que acompanhe o site e facebook da revista em www.revistazen.pt/categoria/guias/ e www.facebook.com/ZEN-Energy.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on google
Google+
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

datas a anunciar